Mulherada ganha espaço e comanda o sertanejo

Por Mariana Silveira

Hoje é Dia Internacional da Mulher, um dia marcado pela luta das mulheres em busca de igualdade tanto no mercado de trabalho quanto na política. E claro, no sertanejo não foi diferente. O meio que antes era dominado por homens já sofreu algumas transformações femininas na sua trajetória. Mas foi só no último ano, em 2016, que tivemos o ‘boom’ das mulheres na crista da onda do sertanejo, movimento que ficou conhecido como “feminejo”.

4d6f1b04c6d71555ae7a96bdd3b76c7fA presença das mulheres no sertanejo é marcante desde o começo. Na década de 50, ela foi muito forte em um tipo de formação ainda incomum: uma dupla formada por um homem e uma mulher. Cascatinha & Inhana foram um dos percursores a inserir a música paraguaia na sertaneja e tiveram grandes sucessos como “Índia” e “Meu Primeiro Amor”.

Inezita Barroso também foi outra artista que se aproximou cada vez mais da cultura caipira e na década de 80 assumiu o comando de “Viola, Minha Viola”, programa que apresentou até a sua morte, em março de 2015.

Roberta Miranda também foi outra mulher importantíssima pra história da mulher no sertanejo no final da década de 80 e início de 90. No início, ela buscava o seu lugar como cantora mas só a reconheciam como a grande compositora que sempre foi. Até que finalmente deram o espaço que ela merecia e foi responsável por tantos clássicos como “Vá com Deus” e “Meu Dengo”.

thaememu

Tivemos mais mulheres que marcaram a história do sertanejo. Por volta de 2006 voltaram a ter os duos de homens e mulheres que fizeram sucesso. Maria Cecília e Rodolfo foram os primeiros a voltarem a fazer sucesso com esse tipo de formação. Logo depois, surgiu Thaeme e Thiago, formação apadrinhada pelos cantores Fernando e Sorocaba.

No último ano, 6 das 20 músicas mais tocadas nas rádios de todo o Brasil ou eram de mulheres ou tinham participações delas. A fonte é a Connectmix, sistema de monitoramento de rádios. A primeira música cantada por mulheres no ranking de mais ouvida é a tão famosa ’50 Reais’ de Naiara Azevedo em parceria com Maiara e Maraísa. A música ocupa o 3º lugar no ranking e foi tocada mais de 580 mil vezes.

A 4ª e a 5ª música mais ouvidas também são de mulheres e parceiras de escritório, Marília Mendonça e Maiara e Maraísa vem com Infiel e Medo Bobo mostrando que o repertório foi escolhido a dedo e cantado não só para mulheres. Ainda temos “Flor e Beija Flor” de Henrique e Juliano com participação de Marília na 15º posição e Paula Fernandes em 19º lugar com Piração. Confira aqui a lista completa. 

A luta por direitos iguais continua e pouco a pouco nós, mulheres, vamos abrindo ainda mais os espacinhos que faltam. A verdade é que não importa muito o gênero mas sim o talento, a garra, a dedicação e a busca por mostrar o seu potencial.

Sem mari




Últimas notícias

  • Novo clipe de Marcos e Belutti mostra superações do amor
  • Avião de Maiara e Maraisa sofre acidente em aeroporto
  • Dupla Kleo Dibah e Rafael estaria se separando, afirma site
  • Fernando e Sorocaba lançam novo DVD no Espaço das Américas
  • Rodrigo e Ravel lançam hit com Matogrosso e Mathias




  • 2 comments

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *