Justiça decide se Gino e Geno precisarão trocar nome da dupla

 

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais determinou que Sebastião Ribeiro de Almeida, o Gino, e Mauro Avante, que agora se tornou Geno, possam utilizar a marca Gino e Geno para fazer shows e gravar músicas. O antigo Geno, Geraldo Alves dos Santos, havia anunciado no fim de dezembro que não faria mais parte da dupla após 48 anos de carreira, mas seu advogado entrou na Justiça pedindo que o nome Geno também não fosse utilizado, sob pena de multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento.

No entanto, na sentença judicial publicada na última quinta-feira (8), o relator afirmou que “o uso do nome como marca, como no caso ocorrente, que sobre ser protegido constitucionalmente na amplitude da proteção dos direitos da personalidade, foi autorizado pelo remanescente da dupla dissolvida”.




Últimas notícias

  • Paula Mattos lança EP com proposta de trazer 'algo nunca feito antes' no mercado sertanejo
  • Geno informa em nota oficial os fatos envolvendo o fim da dupla Gino e Geno
  • Chitãozinho e Xororó voltam ao Espaço das Américas com turnê "Evidências"
  • FAICI 2019 confirma atrações da 30ª edição
  • Paula Fernandes lança primeira canção do EP "Hora Certa"




  • One comment

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *