A guerra silenciosa por trás dos principais sucessos sertanejos

No último domingo (18/02), ao lançarem ao vivo no Faustão a nova música de trabalho “Com Vocês, Eu”, Thaeme e Thiago protagonizaram mais um capítulo de uma guerra silenciosa que ocorre no mercado sertanejo. A briga pela liberação ou compra de exclusividade de composições tem gerado um mal estar entre duplas de todo o País há algum tempo.

 

Para exemplificar, “Com Vocês, Eu”, foi lançada primeiramente por Marcela Ferreira, jovem cantora do interior paulista, conhecida por seus covers nas redes sociais. Ela foi a primeira cantora a pagar aos compositores Montenegro, Elvis Élan, Bruno Mandioca, Henrique Castro e Maycow Mello pela liberação da música. Na época, contou com a ajuda do namorado, amigos e familiares para gravar num estúdio com produção musical e estrutura para emplacar um trabalho que a pudesse emplacar no circuito sertanejo.

No entanto, sem o mesmo poder de investimento e sem um escritório de peso por trás como a FS Produções Artísticas, que agencia a carreira de Thaeme e Thiago, Marcela computou cerca de 43 mil visualizações em seu vídeo no YouTube, número que Thaeme e Thiago conseguiram logo no primeiro dia em que disponibilizaram em seu canal a mesma canção, depois de terem adquirido a mesma liberação quatro meses depois.

É bem verdade que Thaeme e Thiago, pela lei, não estão errados. E nem são os primeiros a fazer isso. Recentemente, Zé Neto e Cristiano passaram pela mesma polêmica com o jovem João Felippe por terem gravado justamente a primeira aposta do cantor na música (“Largado Às Traças”) poucas semanas depois de seu lançamento. Neste caso ainda houve uma agravante: como adquiriram a exclusividade da composição, Zé Neto e Cristiano ainda exigiram que João Felippe retirasse do YouTube sua versão, mas o jovem cantor conseguiu provar que havia adquirido a sua liberação antes que a exclusividade tivesse sido garantida por ZN&C.

Nem mesmo o principal sucesso sertanejo do momento, “Apelido Carinhoso”, escapa das polêmicas. Sucesso na voz de Gusttavo Lima, a canção romântica primeiramente foi gravada por Junior Angelim, há mais de um ano, mas longe de chegar perto da repercussão que ganhou com Gusttavo. Como ele mesmo compôs a letra, Angelim foi quem decidiu vender
a exclusividade a Gusttavo. Em muitos dos casos, os cantores de menor poder de investimento reclamam da briga desleal no mercado sertanejo, em que as grandes duplas muitas vezes preferem regravar trabalhos já produzidos por cantores menos conhecidos ao invés de arriscar e apostar em novas composições.

Veja mais exemplos:

“Com Vocês, Eu”

“Apelido Carinhoso”

“Largado Às Traças”

“Noites Frustradas”

“Não Deixo Não”




Últimas notícias

  • Maiara e Maraisa liberam segundo vídeo do DVD Reflexo
  • Charles e Adriano lançam o primeiro DVD da carreira
  • Trio Villa Baggage chega ao fim após dez anos de estrada
  • George Henrique e Rodrigo fazem parceria com Zé Neto e Cristiano
  • Gustavo Mioto lança clipe de “Solteiro Não Trai”




  • 3 comments

    • É tudo lixo!! E o povo só consome esse lixo, porque não oferecem mais nada no cardápio. Uma lástima, ver a
      nossa música brasileira tão rica em outros tempos, resumida à funk e sertanojo.

      • Gosto e cu cada um tem o seu imagine se eu fosse obrigado a gostar do que vc gosta ou vc ter que gostar do que eu gosto o que não persta pra vc eu posso gostar

    • Gustavo Henrique de Carvalho Miranda

      Se foi autorizado e vendido o direito de regravação da música não tem nada de errado. Todos saíram lucrando em suas devidas proporções.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *